segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Acorda Brasil

Por: Lauro Schneider


Transborda-se se a taça,
O vinho da ira, sorvido nos anos.
Já não pode, então,
Mesmo a gentil, amável nação,
Suportar quem deseja
O espólio, a corrupção.

Gritam por justiça;
Nas ruas, emoção.
Refazem sua história,
Mas sangue, já não;
Se expressa, pacifica,
A gigante Nação.

Do Ipiranga, o grito,
De novo bradou.
Nas mídias ecoa,
Ouve-se, então.
E o povo responde,
Manifesta a nação

Teu filho voltou,
Linda, Mãe gentil.
Foi para as ruas,
De um sono desperto,
E grita, clama aos irmãos:
Acorda Brasil!

domingo, 3 de novembro de 2013

Lampejo

Por: Lauro Schneider

 
 
Mais forte que a luz, mais brilhante,
Mais quente que o sol, mais ardente,
Tão grande, imenso;
Tão forte, intenso;
Aconteceu.

Teus olhos em meus olhos,
No encontro de um instante,
Uma chama acendeu.
De teus olhos a luz
Irradiaram os olhos meus.

É o lampejo, a luz da cativação;
Uma centelha da alma,
Que aos olhos, num repente,
Ilumina potente,
Despertando a latente,
Tão grande paixão.