segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Estranho Progresso


 
Estranho é o progresso.
Expressa o reflexo
De um ser tão complexo
Que o inventou.
 
Ao longo da historia
Infame, inglória, se vê,
Do progresso, o inverso,
A humanidade caminhou.
 
Destruiu-se o sistema
Eco, lógico, o esquema,
Teorema perfeito
De Deus entre nós.
 
E agora ecoa o grito,
Maldito,
De uma terra em transe
Que não pode calar.
 
Derrubaram as árvores
Queimaram as matas
Destruíram fontes
Sujaram o mar.
 
E aquece-se a terra,
Inundam-se as serras,
Não vejo mais flores,
Só há cinzas, fumaça no ar.
 
Até as pedras, eternas,
Que a mente insana, humana,
Em nome do progresso, reclama,
Estão a explorar.
 
Não há quem ajude,
Quem os faça parar.
A ganância tamanha
Do futuro desdenha.
 
Será que haverá?
 
Por: Lauro Schneider

Nenhum comentário:

Postar um comentário